15. Mussismilia harttii
Esta espécie apresenta os cálices separados, de forma dicotômica, sem formar ramos laterais. Três diferentes variações morfólogicas são descritas por Laborel (1969a)como as variedades laxa, intermédia e confertifolia. A variedade laxa tem os cálices bastante separados e caracteriza os ambientes de águas mais calmas. A variedade confertifolia apresenta os cálices pouco separados e é comumente encontrada em águas mais agitadas e, a variedade intermédia, abrange todas as formas que não apresentam as características extremas das variedades laxa e confertifolia. A colônia viva apresenta coloração variada em tons de cinza, amarelo, verde e marrom.
Esta é uma espécie endêmica da fauna coralínea brasileira. Apresenta características arcaicas tendo afinidade com espécies presentes no período Terciário da bacia sedimentar do Mediterrâneo. Ela ocorre desde a costa do Estado do Rio Grande do Norte, nas ilhas de Fernando de Noronha, até a costa do Estado do Espírito Santo. Parece competir por espaço com a Mussismilia braziliensis, pois ela é rara onde a M. braziliensis é abundante, como por exemplo, na área de Abrolhos, e é um construtor primário nos recifes da costa do estado de Pernambuco, onde a M. braziliensis está ausente. Ocorre em águas rasas (2 a 3 m), resitindo bem à turbidez moderada e, também, registrada em águas mais profundas (15 a 30 m e ocasionalmente 80 m).


[índice] [anterior] [origem] [próximo] [taxonomia] [mapa de ocorência]